Falta dignidade humana, falta “Cidadania”

Blog Miguez

Falta dignidade humana, falta “Cidadania”

Equipe Miguez 13/12/2017 Compartilhar

Numa mesma semana, em uma mesmo dia, quase na mesma hora,  testemunhei duas cenas de horror dentro de uma região nobre da  tradicional e cobiçada Tijuca.

Dessa vez não era  a violência que assalta, mata,  rouba, corrompe e destrói  toda a cidade do RJ que será  comentada nas mídias sociais, falo da  violência  que se reproduz no  “abandono e   descaso”,  aquela que  alimenta a pobreza física e espiritual de uma cidade inteira, aquela que contribui para o caos e a destruição de   um  planeta inteiro.

As fotos tiradas representam o quão despreparado está o RJ em termos de cidadania,  dignidade humana entre outras coisas. A ignorância que durante séculos nos perpetrada e  imposta por manipuladores da sociedade,  acarreta esse tipo de comportamento  inqualificável, deprimente e repulsivo que ao meu ver,  se estende até um dos mais sérios  desafios da  saúde pública carioca, as  Cracolandias!  

Pareço estar misturando os assuntos, mas não estou, onde há sujeira física, onde há  maus  tratos ao meio ambiente, há também sujeira  espiritual, e se há sujeira espiritual em  um ambiente físico é sinal de que  falta dignidade humana, falta a presença da LUZ.

Quando reclamamos dos bueiros entupidos que assolam e destroem a cidade nos dias de  chuvas torrenciais, esquecemo-nos de trabalhar na fonte do problema, esquecemo-nos de  EDUCAR a sociedade, tão rica em cultura e pobre em cidadania.

E quando falo de educar, não falo daquele que mora tão somente na favela, aquele que  muitas vezes é dado como exemplo negativo da sociedade, falo também, ou sobre tudo,  daquele que de dentro de um carro de luxo, abre seu vidro para sujar as ruas de todos ao  jogar suas  guimbas de cigarros ou  o papel de bala que embrulha sua   “bala Halls”.  

Esse lixo exposto recorrentemente em uma rua junto ao aniquilado Club do América, e  essa lixeira que vive transbordando (entre centenas de outras da cidade) e que   constantemente sofre avarias em frente à  Miguez Imobiliária, situada  na Nobre Praça  Afonso Pena,  é para mim o ponto que define o estado de ignorância e pobreza  da nossa  sociedade.

Vejam que não sito o aclamado Leblon, mas também não estou nos cafundós do RJ, estou em uma região onde a renda per capta é uma das mais elevadas do RJ e por consequência a condição social dos seus moradores e comerciantes,  deveria  ser diferenciada.  

Sem educação  familiar e social, não caminharemos por  caminhos prósperos. 

Talvez voltarmos a nostálgica matéria de “moral e cívica” estudada na antiga escola, que soberanizava-se em meio a cultura vivida no  seio da extinta instituição família, seja apenas um ideal de recurso  vivido em meus   pensamentos ou quem sabe, um caminho  largo e real para solução de um RJ que agoniza em meio a tantos desperdícios e maus tratos, em meio a tanta pobreza, inclusive pobreza  de espirito.

Marco Miguez.  

Titulo aqui

close