Comprar ou alugar: qual é o ideal para mim?

Blog Miguez

Comprar ou alugar: qual é o ideal para mim?

Equipe Miguez 17/10/2017 Compartilhar

A decisão de comprar ou alugar um imóvel, seja uma casa ou apartamento, demanda tempo para tomar decisões e avaliar cada alternativa. Acredite, não é uma tarefa fácil, mas pode se tornar simples.

Vou te dizer porque: basta avaliar sua renda mensal e se conhecer. Sim, porque na maioria das vezes o imóvel comprado é na verdade financiado, mas arcar com as parcelas e muitas vezes com as intermediárias (aquelas parcelas bem altas que geralmente são pagas uma vez ao ano, mas sem deixar de pagar as mensais) sugere que o cliente seja muito organizado financeiramente.

É preciso ter disciplina para comprar casa ou comprar apartamento financiado e não se perder nas contas no fim do mês, além de correr o risco de ver seu imóvel tomado pelo banco. E se você está surpreso com essa possibilidade, saiba que ela é muito mais recorrente do que o normal.

Tenha em mente que o imóvel só é seu quando for quitada a última parcela do financiamento. Aliás, se você está com dúvida entre comprar ou alugar, já deve saber que um financiamento nada mais é que um empréstimo com o próprio imóvel financiado como garantia. Se o empréstimo não é pago, o banco vai querer a garantia. Agora imagina um financiamento de 20 anos, você pagou religiosamente por 15 anos, mas se descuidou e deixou acumular várias parcelas a ponto de o banco tomar o imóvel. Com certeza ninguém quer passar por isso.

Ou seja, a questão entre alugar e financiar, vai um pouco além de apenas analisar o lado financeiro. Ao firmar um compromisso é preciso saber se você terá condições de cumpri-lo e se está disposto a colocar o pé no freio no consumo excessivo, abrir mão de compras supérfluas, etc. Para fechar um financiamento de longo prazo é preciso ter estabilidade no emprego e estabilidade emocional. Sem um desses pontos, não assuma um compromisso desse tamanho.

Existe ainda a cultura do sonho. Quem não tem o sonho de conquistar a casa própria? Quem não quer sentir-se realizado, compensado de alguma forma? No entanto, em muitos casos é necessário entender que se não existe disciplina, a melhor opção sempre será o aluguel.

Aqui chegamos em um ponto importante, também cultural: Aluguel é dinheiro jogado fora.

Não, não é. Entenda que é uma via de mão dupla. Enquanto o dono da casa recebe o aluguel, você usa a casa. É justo, é uma troca, um negócio. Simples. Ninguém perde aqui. Nada é jogado fora se houve uma compensação, um produto adquirido. Nesse caso, o direito de residir em um local especifico.

Como já enfatizamos a questão comportamental, vamos abordar também o lado financeiro. E por esse lado, saiba que a opção aluguel ganha disparado e vamos te explicar porque.

Atualmente o valor de um aluguel representa 0,5% do valor total do imóvel. Sabendo disso, imagine um imóvel vendido a R$600mil. Se você já fez as contas, sabe que o aluguel seria em torno de R$3.000. Agora pense nesse mesmo imóvel financiado com juros, imagine também que o cliente deu uma entrada de 20% do valor total (R$120 mil) e financiou o restante em 30 anos. A primeira parcela desse financiamento seria de R$6.224, mais que o dobro do valor de aluguel do mesmo imóvel.

Já dá para saber que alugando esse imóvel e colocando a diferença em uma poupança ou aplicação é muito mais vantajoso. Faça as contas: Guardando apenas a sobra, R$1.500/mês, durante 30 anos, o valor poupado é de R$540 mil reais. Obviamente pagando à vista seria muito mais fácil negociar o valor restante.

Sem contar que em um financiamento, ao final das parcelas você tem um imóvel de 3 décadas, uma construção antiga que, muito provavelmente, já terá passado por reformas ou estará precisando de uma. Alugando um imóvel e poupando a diferença das parcelas, você vai adquirir um imóvel novo ou provavelmente já reformado para venda.

Voltamos então à pergunta título desse artigo: Comprar ou alugar, qual o ideal para mim? A resposta é: depende.

Se você é um cliente disciplinado, que valoriza muito a cultura do sonho e quer a casa própria já, faça o financiamento. Já se você não tem tanta disciplina ou até não quer pagar um valor de juros em cima do valor do imóvel (esse sim um dinheiro jogado fora), alugue. Tendo disciplina em poupar, só vai demorar para ter um lar realmente seu. Se não for disciplinado, não vai correr o risco de se tornar um inadimplente com um banco ou financeira e ainda vai economizar nas “parcelas”.

Tenha em mente que os tempos agora são outros. Comprar um apartamento ou comprar uma casa financiados para afirmar que tem uma casa própria não é obrigatoriedade. Um imóvel comprado te prende sempre no mesmo lugar, que pode em 30 anos ser mais valorizado do que no momento da compra, como pode não ser. Mudar-se de cidade ou de bairro é uma realidade cada vez mais comum e pode ser enxergado como um benefício.

.

Por último, permanecendo a dúvida entre comprar ou alugar casa, procure a ajuda de um especialista. Seja um corretor ou um economista, peça ajuda e analise as duas alternativas com muita calma. Considere fatores externos, como a economia do país, seu círculo social e até sua estrutura familiar.

Titulo aqui

close